Aleitamento materno: um aliado na formação de bons hábitos alimentares

Para além dos benefícios apresentados anteriormente, nesta secção, é importante referir o papel que o aleitamento materno pode desempenhar na formação de bons hábitos alimentares na criança. O que também pode contribuir para a prevenção da obesidade! 

Podemos citar 2 papéis importantes.

1.      O respeito pelos sinais de fome e saciedade do bebé

Os bebés nascem com a capacidade de regular a quantidade de alimentos que devem consumir em função das suas necessidades. Estudos demonstram que é mais comum que os bebés amamentados ao peito mantenham esta capacidade ao longo da vida do que os bebés alimentados por biberão.

É provável que isso aconteça porque os bebés amamentados ao peito exercem um papel mais ativo na sua alimentação. Com o aleitamento materno é o bebé quem determina quando e o quanto mama. A mãe não sabe ao certo o quanto o bebé mamou. O bebé tem liberdade de comer quando tem fome e de parar de comer quando está satisfeito. Os pais aprendem a respeitar a vontade do bebé.

Ao contrário, no caso do bebé amamentado por biberão, são os pais que preparam o biberão e muitas vezes incentivam o consumo de todo o leite. Isso pode contribuir para reduzir esta capacidade que o bebé tem de comer somente o que necessita.  

Uma criança que consegue manter a capacidade de comer quando tem fome e não comer quando está satisfeita tem melhor proteção contra a oferta excessiva de alimentos dos dias de hoje e contra obesidade.

2.      A aprendizagem dos sabores

Por fim, o leite materno contém uma série de paladares que fazem parte da alimentação da mãe. Estudos demonstram que as crianças alimentadas com leite materno aceitam melhor os alimentos durante o período de diversificação alimentar. Com as primeiras refeições sólidas a correrem melhor, pais e bebés passam a desfrutar e apreciar a hora das refeições, o que contribui para bons hábitos alimentares.

Vídeo: