Aprenda a reconhecer e respeite os sinais de fome e saciedade do bebé.

Os bebés nascem com capacidade de regular aquilo que devem consumir de acordo com as suas necessidades. Ao pressionar os bebés para que comam mais um pouco ou até mesmo “limpem o prato” os pais e outros cuidadores prejudicam esta capacidade do bebé.

Nos dias de hoje, em que as crianças estão constantemente diante de alimentos e guloseimas, ter esta capacidade de parar de comer quando estão satisfeitas é muito importante para a prevenção da obesidade infantil.

Não é suposto que o seu bebé coma uma quantidade determinada de alimentos ou que coma uma mesma quantidade todos os dias. Todas as crianças têm refeições e dias em que comem bem e outras em que recusam tudo porque, naturalmente, não têm apetite. Se o seu bebé demonstrar que está satisfeito, não insista.

Os bebés demonstram de diversas formas que estão satisfeitos ou necessitam de uma pausa nas refeições. São sinais comuns nesta fase: chorar, choramingar ou refilar; virar a cara ou afastar-se da colher; distrair-se da refeição e dos alimentos; cuspir a comida (embora, nas primeiras refeições isso possa acontecer simplesmente porque o bebé ainda não consegue engolir a partir da colher).

Por outro lado, é importante também reconhecer e atender aos sinais de fome do seu bebé. Assim ele estará sempre seguro de que as suas necessidades vão ser atendidas e saberá controlar-se melhor. 

São sinais de fome comuns nesta fase: chorar, choramingar ou refilar; mostrar interesse pela comida; abrir a boca quando vê a colher; esticar o corpo em direção à comida ou à colher.

Lembre-se que chorar e choramingar nem sempre é sinal de fome. Não se esqueça de que o seu bebé tem também outras necessidades: de atenção, de descanso, de cuidados de higiene, etc. Oferecer um alimento não deve ser sempre a primeira alternativa diante do choro do seu bebé.    

Procure reconhecer e atender aos sinais do seu bebé! Isso fará dele uma criança mais segura, calma, cooperante e feliz!