Em que situações devo utilizar o leite de fórmula?

A decisão sobre oferecer ou não o leite de fórmula ao bebé deve ser tomada juntamente com o médico. Consoante a situação, o médico pode recomendar a utilização somente do leite de fórmula ou uma alimentação mista, ou seja, com leite materno e de fórmula. 

Por exemplo, quando o bebé não está a crescer de forma adequada, o médico pode optar por fazer uma alimentação mista. Com a recuperação do peso do bebé e a correção da situação que dificultava o aleitamento materno, é possível retomar o aleitamento materno exclusivo.  

São menos frequentes os casos em que é necessário recomendar uma alimentação somente com leite de fórmula. Isso acontece quando a mãe decide não amamentar ou nos poucos casos em que o aleitamento materno não é recomendado.

São exemplos de situações em que o aleitamento materno não é recomendado:

  • Mãe portadora do vírus da imunodeficiência humana (HIV);
  • Mãe com tuberculose ativa não tratada ou outra doença infeciosa que pode ser transmitida ao bebé;
  • Mãe que necessita de tomar medicamentos que passam para o leite e podem fazer mal ao bebé;
  • Mãe que consome drogas ilícitas como: cocaína, heroína, marijuana, anfetaminas, entre outras;
  • Mãe portadora de algumas doenças graves;
  • Bebé com galactosemia ou fenilcetonúria, duas doenças raras.  

Algumas destas situações podem ser temporárias e, quando resolvidas, o aleitamento materno pode ser reiniciado. Nestes casos, recomenda-se que o leite de fórmula seja oferecido através de uma colher ou copo e que a produção do leite materno seja estimulada. 

Vídeo: