Garantir oportunidades diárias frequentes para brincadeiras ativas

Falar em medidas para estimular a atividade física em creches e jardins-de-infância pode parecer desnecessário. Para começar, as crianças são naturalmente ativas. Por outro lado, é habitualmente preocupação destes contextos garantir algum tipo de atividade estruturada semanalmente.

Contudo, essas atividades pontuais não são suficientes. Para além disso, é necessário considerar o peso que as atividades pedagógicas assumem no dia-a-dia das crianças e os desafios para garantir tempo de atividade física (por exemplo, condições climáticas, espaço exterior e interior, pessoal para supervisionar). Será fácil concluir que em muitos dias não garantimos o tempo de atividade física ideal para o desenvolvimento das crianças.

A atividade física não tem de ser um bicho-de-sete-cabeças, mas exige certamente algum planeamento e criatividade.

Dos 0 aos 12 meses

  • Garantir que os bebés com menos de 6 meses ficam de barriga para baixo por alguns segundos ou minutos diariamente;
  • Garantir oportunidades diárias para que os bebés se movimentem livremente e explorem o ambiente interno e externo;
  • Brincar com os bebés no chão para estimular a interação com os adultos;
  • Usar os berços, as cadeiras de alimentação e as cadeiras de transporte para os devidos fins, ou seja, para dormir, durante as refeições e para transportar os bebés. Evitar o uso destes equipamentos apenas para manter os bebés quietos e seguros;
  • Limitar o uso de equipamentos como andarilhos e espreguiçadeiras para manter os bebés seguros enquanto estão acordados.  

1 aos 5 anos de idade

  • Garantir oportunidades para que as crianças brinquem de forma ativa, com atividades leves, moderadas ou intensas, por um período total equivalente a 15 minutos por hora em que estão aos cuidados da instituição. Por exemplo, crianças que passam 8 horas na instituição devem brincar de forma ativa por, pelo menos, 2 horas neste período;
  • Garantir oportunidades diárias para que as crianças brinquem ao ar livre, no recreio exterior. Quando isso não for possível, pode ser necessário improvisar um recreio interior;
  • Combinar atividades livres com atividades organizadas, apropriadas para cada etapa do desenvolvimento;
  • Integrar a atividade física nas atividades de promoção do desenvolvimento cognitivo e social das crianças;
  • Integrar a atividade física em dias de festa e comemorações;
  • Evitar punir as crianças por serem ativas;
  • Evitar proibir as crianças de estarem ativas como forma de castigo;
  • Utilizar brincadeiras ativas como prémio; 
  • Limitar a cerca de 30 minutos o tempo seguido que as crianças passam sentadas a fazer alguma atividade.  

Vídeo: