O que contribui para a obesidade infantil?

A forma mais natural e eficaz de aumentar o gasto da energia consumida com a alimentação é através da atividade física. Por isso, podemos dizer que os maus hábitos alimentares e a pouca atividade física das crianças são os maiores responsáveis pelo aumento do número de casos de obesidade nos últimos anos.

No entanto, é fundamental compreender que existem ainda diversos fatores que influenciam negativamente os hábitos de alimentação e atividade física da criança ou aumentam a tendência de uma criança para ganhar peso. Estes fatores também devem ser tidos em consideração se quisermos prevenir ou tratar a obesidade infantil.

Fatores relacionados com a gravidez

  • Obesidade da mãe no início da gravidez;
  • Ganhar peso a mais durante a gravidez;
  • Fumar durante a gravidez;
  • Ter diabetes não controlada durante a gravidez.

Fatores relacionados com a alimentação

  • Alimentação por biberão com leite de fórmula nos primeiros meses de vida;
  • Começar a comer outros alimentos para além do leite materno ou do leite de fórmula antes dos 4 meses de vida;
  • Desrespeito pelos sinais de fome e de saciedade da criança;
  • Consumo reduzido de frutas e vegetais;
  • Consumo habitual de produtos alimentares com excesso de açúcares e gorduras e de baixo valor nutritivo, como bolos, doces, chocolates, rebuçados, fritos de pacote (snacks), entre outros;
  • Consumo frequente de bebidas açucaradas, como refrigerantes, sumos e leites aromatizados;
  • Consumo excessivo de calorias;
  • Consumo regular de refeições fora de casa;
  • Petiscar entre as refeições.

Fatores relacionados com a atividade física e o sono

  • Passar muito tempo em atividade de ecrã, como ver televisão e utilizar computadores, telemóveis e videojogos;
  • Fazer pouca atividade física;
  • Dormir menos horas que o necessário.

Fatores relacionados com os pais, a família e outros cuidadores (amas ou outros em instituições como creches e jardins-de-infância)

  • Obesidade dos pais;
  • Obesidade em familiares próximos;
  • Maus hábitos de alimentação e atividade física dos pais e pessoas mais próximas;
  • Falta de conhecimento dos pais e outros cuidadores acerca da alimentação saudável.

Vídeo: 

Folhetos: