Zele para que as refeições sejam momentos agradáveis e desejados

A criança aprende atitudes positivas e negativas relacionadas com a alimentação observando aquilo que se passa à sua volta. As refeições em família são momentos únicos neste sentido.

É mais fácil para a criança apreciar os alimentos e a hora das refeições se estas forem momentos tranquilos e agradáveis desde os primeiros anos de vida. Pelo contrário, se uma criança é sempre obrigada a comer tudo o que lhe foi servido e se a alimentação é sempre tema de conversa ou discussão, será muito mais difícil que ela goste do que está a comer.

Assim, sempre que for possível, organize a rotina para que sua criança faça pelo menos uma das refeições em família. Se não for possível, tente ao menos que esteja presente à hora da refeição da família.

À mesa, sigam a regra dos 3 S: sentados, sossegados e sociáveis. Sentem-se à mesa e conversem, num ambiente tranquilo, sem distrações como brinquedos, telefone ou televisão. Evite fazer comentários sobre o que a criança está ou não a comer. Incentive-a a comer sozinha e respeite o seu ritmo. As pressões e os raspanetes para que coma mais ou mais depressa são totalmente desaconselhados.   

Mesmo os lanches devem ser servidos num sítio “especial” e com companhia e não enquanto a criança brinca. Se habituar o seu filho a comer somente com distrações, será muito mais difícil para ele aprender a comportar-se à mesa.

Envolva o seu filho na preparação das refeições. Rasgar as folhas da alface, mexer as misturas e amassar massas, ajudar a contar os ovos ou as colheres dos ingredientes podem ser tarefas muito interessantes. Ele vai adorar sentir-se útil! Este desafio vai fazer com que dê mais atenção à tarefa do que aos alimentos e ficará mais motivado para comer. Além disso, aprender a cozinhar é importante!

Evite que as refeições se prolonguem demais. As crianças têm uma capacidade de atenção limitada e não é aconselhável que estes momentos se transformem em tortura. Se a refeição estiver a demorar muito e a criança quiser sair da mesa, a melhor alternativa pode ser deixá-la sair.

Assim, as refeições são oportunidades de convívio, interação e descoberta e não apenas a hora de comer.